Caixa de texto: Artista Mirim/RJ
Coordenação Ingrid Sampaio Munk do Prado 
(membro efetivo responsável Virginia Lopes Sampaio)

O que eu acho do artista mirim:

 

O departamento de artista mirim, eu entendo como um acontecimento que reúne crianças que sabem fazer coisas, usando a imaginação, a criatividade e descobrindo com isso seus talentos e surgindo novos talentos.

 

Eu estou muito feliz por coordenar esse departamento, porque eu descobri um talento que tenho conversando com Beatriz. Daí veio à idéia deste trabalho; e então outras crianças também poderão descobrir o mesmo que eu. Acho isso muito bom e, também, é uma diversão.

 

Para que crianças descubram os seus talentos precisam falar com seus amigos e os amigos falarem com outras crianças, que essas crianças falem para outras e vai crescendo cada fez mais esse circulo de pessoas. É preciso criar um questionário e pesquisar no mundo infantil suas opiniões sobre o que é arte  em todos os jeitos e maneiras e identificando assim seus talentos. Outra ação importante é manter um fórum de debate pelo site do CPECS todos os sábados às 17 horas aonde os visitantes e os participantes afins irão responder o questionário, para formarem uma imagem do público mirim.

 

Além destas ações este departamento vai apresentar para o público em geral trabalhos criados pelas crianças como: desenhos, histórias, teatro e invenções em geral.

 

Ingrid Sampaio Munk do Prado

(10 anos de idade)

 

· Palavras da Direção do Núcleo de Expressão Artística

 

A arte e o Departamento Mirim

 

Um caudaloso rio de idéias me invade. Calma! Grito pra mim. Tudo a partir da emoção que senti pela criação do departamento de artista mirim do CPECS.

 

Perguntas, perguntas, sempre me perguntando quando?,  porque?, como? Sempre querendo saber e apreender as coisas da vida.

 

O que é arte? Que perguntinha difícil de responder! Quando devemos começar a introduzir arte na vida de alguém? Qual é o momento certo?

 

Pra mim arte é criação de mundos, é decifração e produção de sentido, é estruturação da realidade de um modo pessoal, estilizado, próprio e ao mesmo tempo universal. Aquele que faz arte proporciona uma representação particular da sua apreensão das coisas do mundo, do seu sentir das coisas e da vida e ao mesmo tempo é capaz de lhe conferir algo de universal que possibilita aos observadores compartilhar e aliviar a carga de suas próprias fantasias e emoções.

 

Não há idade para começar a se interessar por arte. Quanto antes melhor. É chocante a postura de grande parte dos pais contemporâneos que preferem levar os filhos ao shopping, para comprar sossego na forma do brinquedo da hora, do que iniciá-los no mundo da arte. Cabe ao adulto escolher e orientar as atividades dos filhos.

 

Jamais duvide da capacidade das crianças de compreender, sentir e perceber a beleza de uma exposição, de um espetáculo de dança ou, seja lá qual for a expressão cultural.

A arte possui magia, ela é sem fronteiras, atravessa o tempo e alcança a todos com uma poderosa arma: a de devolver às pessoas a capacidade de sonhar e, apesar do mundo se apresentar cada vez mais inóspito e árido, de continuar a acreditar e ansiar pelo belo.

 

As crianças não só estão prontas para apreciar como também para produzir arte e contribuir com a construção de uma vida melhor.

 

Sonia Viana

Diretora do Núcleo de Expressão Artística

 

Núcleo de

Expressão Artística

Núcleo de

Política de Ação

Núcleo das

Ciências Acadêmicas e

Para-Acadêmicas

 

Núcleo das

Concepções

Filosóficas e

Culturais

 

Contos, Crônicas,

Prosas e Versos